terça-feira, 26 de outubro de 2010

A cereja da torta de chocolate



E ele estava ali, parado com o meu sorriso estampado no rosto, aquele sorriso malandro que enganou muita gente antes de me conhecer. Perguntou como eu estava, e suavemente colocou a mecha que teimava em cair no meu rosto atrás da minha orelha, antes de me beijar suavemente.

Era sempre assim: ele passava na volta de seu trabalho na frente do meu e me esperava encostado em seu carro com aquele ar de homem perigoso com todas as tatuagens, o all star branco e o casaco de couro contrastando com a camisa em decote v branca. E dali íamos em algum café escondido ou íamos pra casa mesmo, para matar a saudade um do outro. E era assim, todos os dias, nosso amor amadurecia, enlouquecia , enchia nossos peitos de uma sensação de torta de chocolate com a cereja em cima. E na nossa vida a dois, nós não éramos a torta mas sim a cereja vermelha.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010


Sons de passos se aproximam de seu lado na cama. Não é nada, apenas lembranças de algo bom que ocorreu ali. Voce se senta na cama, com os joelhos perto de seu maxilar, e repousa ali sua cabeça cansada de pensamentos cansados. Faz três dias que a posição e a felicidade são as mesmas: paradas e cansadas. É , você não acreditou que os malditos pensamentos voltaram a te assombrar.
O café, o pão, seis horas da manhã. Tudo te lembrava ele, o som do toque do celular jogado no canto do quarto, os passarinhos piando na jardineira, o cheiro do travesseiro, o calor que lhe faltava, a vontade de conversar com alguém, e até a vontade de. Tudo, e você se odiava por isso.
A boca desalojada do joelho, indo para o travesseiro ao sentir o gosto amargo. Das lagrimas?Não, apenas das lembranças.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

13 graus



Me bateu um calorzinho hoje, apesar de estar fazendo 13 graus lá fora. Aquele calorzinho de lareira, e família reunida no natal ao redor do grande peru e da torta de maçã. E foi quando me toquei que esse calorzinho significava que você estava na cama, com o lençol cobrindo apenas a parte de baixo, e não cobrindo aquela curvinha que suas costas faziam quando você dormia de bruços e suspirava.
Lembrei-me também, daquela tua covinha na buchecha, que aguçava quando você sorria e sorri e dei risada.Risada desse sentimento que inundava meu peito, o calorzinho de 13 graus ao seu lado.