quinta-feira, 28 de abril de 2011

Ao seu jeito


Ela chegou e balançou todos no local. O jeito irreverente, estranho com suas enormes unhas pretas e o cabelo preto azulado assustaram os mais corretos. Ela apenas sentou ao fundo da classe, com os fones de ouvido e uma unica caneta e caderno. O professor a conhecia bem, e sabia que apesar daquele jeito de durona e emburrada era uma boa garota.
A garota que saia todas as noites, possuía o corpo com tatuagens e não dizia nada a ninguém. Que vivia uma vida de princesa, ou que os outros achavam que vivia, e era invejada pelas garotas e cobiçados pelos garotos, só pelo poder de ter o diferente. Ela não falava, apenas observava, e sabia de todos e tudo mas preferia guardar pra ela. As pessoas tinham medo e curiosidade, talvez? Ela não ligava pro que os outros pensavam, só o que ela pensava sobre isso ou aquilo. Seus pensamentos eram tão confusos como aquelas marcas em seus pulsos que o desenho não cobria. Ela tinha cicatrizes por todo o seu corpo, e internamente ela urrava. Urrava com aquela dor, de pessoas apontando e rindo, colando chiclete em seu material e colocando o pé na frente.
As pessoas não aceitam que você é diferente a elas, a menina entendia agora. Não era preciso mostrar a ninguém, nem esperar por ninguém. Ela estava bem consigo mesma, seu casulo havia sido desfeito, e ela havia se tornado uma bela mariposa. Mas toda mariposa( ela não aceitava ser borboleta) tem seus defeitos, mas mesmo assim , ela aprendeu a voar sem precisar de ninguém. E seu professor sabia disso, e ao olhar para aquela menina no fundo da classe, soube que ele havia acertado ao apoia-la em seus momentos mais obscuros.

"I'm beautiful in my way 'cause god makes no mistakes. I'm on the right track baby, I was born this way
Don't hide yourself in regret just love yourself and you're set.
I'm on the right track baby, I was born this way"



Nenhum comentário:

Postar um comentário